sexta-feira, 13 de novembro de 2009

to beard or not to beard


Durante boa parte da vida não tive o menor desejo de ter barba, especialmente na adolescência não me parecia nem um pouco cool andar por aí adornando a cara com pelos, sem falar que, esteticamente, eu estaria na contramão de boa parte dos meus ídolos musicais e isso não podia ser. Idolatria e imagem, como se sabe, caminham juntos e é coisa séria [sic].

Gostava mais de cultivar topete e costeletas em detrimento da barba hirsuta, talvez por que quisera renegar esta minha cara de membro honorário da Al-Qaeda, a qual hoje defino como sendo...mediterrânea, seja lá o que isso signifique em termos de prestígio social.

Com o tempo, entretanto, acabei sendo praticamente o único entre meus amigos a não ostentar barba. Até quem só tinha 5 pelos tímidos espalhados pela face os exibia como se fosse possuidor de uma barba a la Hemingway. Eu pelo contrário, possuidor de uma barba que, de tão cerrada, deixa-me com uma marca levemente azulada ao redor do rosto, recusava-me a libertar os meus pelos e os escanhoava com paixão. Tudo por amor à estética filha dos 80 que, ultrapassada ou não, me é cara até hoje.

Depois ao longo do tempo continuei me espantando ao constatar que toda a intelligentzia indie, underground ou coisa que o valha também havia adotado a barba em definitivo como estandarte mor e carta de intenções. Acho que foi nessa mesma época que eu parei de freqüentar boates com medo de que, metido no meu eterno modelito noir, ao pedir a bloody Gin Tonic me fosse servida uma Sukita.

Mas enfim, um dia a gente cede, nem que seja por amor a uma mulher e vai deixando o carpete facial tomar corpo e se acostumando com a ideia. Daí, para um escorpiano como eu, com ascendente em peixes e não sei lá mais o que em libra, fantasiar e se achar o próprio Saladino é um pulo. O fato é que, oh meu Deus, eu agora, do alto desta idade que estou prestes a completar no próximo Domingo, sou possuidor de uma bonita barba com reflexos grises na parte junto ao queixo que me dão assim, um ar muito elegante, aristocrático até. Dependendo do dia o mood varia e torna-se uma coisa muito moura e com um pé na resistência islâmica. Confesso que até voltei a ir a praia para ajudar no biotipo.

Julgo oportuno comunicar que aceito cimitarras de presente de aniversário, agora...se alguém me chamar de Hipster eu meto porrada e boto para correr discorrendo o meu rico repertório de injúrias múltiplas para ocasiões diversas em bom português, que essas viadagens eu não tolero.

Salaam aleikum.
PS: A festa é amanhã...follow the rainbow.

4 comentários:

Patty Diphusa disse...

Acho uma barba bem tratada um charme.

Parabéns !!!!! :)

Bjs

narghee-la disse...

mal sabia eu que ainda existia espaço pra você ficar mais irresistível...

bloke in blue disse...

Pois é, brincadeiras à parte, estou curtindo o novo visual. E você tem toda razão, é obrigatório que esteja bem tratada, senão o tiro sai pela culatra e parece desleixo.

Beijos.

bloke in blue disse...

bom, em função do último comentário qualquer coisa se justifica... até uma barba. ;)

 

View My Stats