sexta-feira, 3 de julho de 2009

Enquanto isso... em Barcelona


Durante 16 anos, o Sónar construiu uma sólida referência na cena eletrônica, mas a grande novidade este ano não foram as estrelas internacionais. Os shows de Orbital, Jeff Mills, Crystal Castles, James Murphy & Pat Mahoney, Fever Ray, Animal Colllective, Carl Graig, Deadmau5, Moderat, entre outros, foram marcantes, alguns imperdíveis, mas tinham um ar de previsibilidade. Nem mesmo a volta triunfal de Grace Jones após 15 anos foi a grande surpresa de 2009.

Mais uma vez, lotação máxima nos 3 dias de Sónar Dia e Noite. Segundo Enrique Palau, um dos diretores do festival, este ano, em vez de trazer somente artistas consagrados por reinventar ritmos originais, como a dupla Diplo e M.I.A., que estiveram em anos passados, ou o Buraka Som Sistema, que este ano eletrizou a primeira noite do festival com seu eletro-Kuduro, abriu-se também para o que existe de mais tradicional.

E estes foram os shows imperdíveis do Sónar 2009. Os africanos do Konono Nº1, Omar Souleyman, Mulatu Astatke e Culoe de Song apresentraram, sem grandes interferências eletrônicas, novos olhares para a tribo do Sónar, cada vez mais ligada na batida techno. Aliás, o "technoturismo" era o grande impacto para quem já visitou edições anteriores. Palcos que desta vez dominavam um clima "rave", já alimentaram uma programação diurna que sempre apostou em sons eletrônicos mais experimentais, numa seleção musical complementar a quebradeira do Sónar Noite. Mesmo assim o festival continua com seu charme, junto a uma das cidades mais cariocas da europa.

Mas o que mostrou mesmo um grande potencial de reinvenção do próprio evento foi a criação do Sónar Kids pelo coletivo Advanced Music, grupo que organiza o festival. O Sónar Kids é um novo festival para um novo público. Os pais podem compartilhar e apresentar as suas proles: arte digital e música eletrônica de uma forma nova e diferente. Adultos sem crianças não podiam entrar. As crianças até3 anos não pagavam. A sinalização do espaço indicava diversas áreas para as crianças de 3, 5, 7 e todas as idades com sessões de DJs, um skatepark, aulas de hip hop e beatbox, exposições interativas, workshops de animações, local para piquenique e uma grande cenografia de Lego com mais de 30 mil peças.

43 artistas se dividiam das 10h30m às 20h entre DJs, músicos, artistas visuais e recreadores. O volume aumentava gradativamente conforme a faixa etária, mas nunca absurdamente alto. Uma "Disneylandia" para os pais tatuados com piercings e os avós que podiam desfrutar um programa família desde a mesa-instrumento interativa Reactable, ou o concerto audiovisual com ruídos e barulhinhos do Alva Noto ou, por exemplo, a performance da união dos bonecos e o hip-hop do Puppetmastaz.

Mas o ápice do Sónar Kids, após os três intensos dias adultos de evento - Sónar Dia e Sónar Noite - com mais de 300 artistas e quase 80 mil pessoas, foi rever o clima nostálgico dos palcos do Village. Está é a área mais procurada por ser ao ar livre na encalorada Barcelona, no pátio interno do MACBA- Museu de Arte Contemporânea de Barcelona- que já recebeu shows memoráveis como Jazzanova, Cinematic Orquestra e Nicole Willis and The Soul Investigators.

Ali, o virtuoso beatboxer e showman inglês Beardyman, que já havia dado seu recado na noite anterior, contagiou a criançada e seus pais. Seu set improvisado é tão eclético, vai de Marvin Gaye a Peter Bjorn and John, até alguns hits tirados do YouTube. E para coroar e encerrar o domingo, o francês Laurent Garnier que estava há 16 anos, no primeiro Sónar, fez questão de estar presente no Sónar Kids. Com esposa e filho sempre ao seu lado, no palco, viram uma multidão feliz de pais com seus filhos pendurados no pescoço, dançando sem parar um som especialmente criado para o grand finale, numa sequência de New Order a Nirvana e para encerrar, pontualmente as 20h, com um drum'n'bass.

Aliás esta é uma outra marca do Sónar, a pontualidade, ninguém faz bis, não acontece efeito dominó de atrasos e todos ficam com lembranças boas porque sabem que ano que vem tem mais.

2 comentários:

Bel Butcher disse...

Excelente o trabalho dos caras! Adorei. Vou conferir para ver se tem algo de interessante para uma pesquisa que faço sobre arte digital interativa.
bj

Nicolau disse...

E cadê você ??

 

View My Stats